top of page

Rui Costa pode ter que se explicar sobre insinuação de cheiro ruim contra parlamentares


Líderes do União Brasil discutiram na quarta-feira 10 a possibilidade de convocar o ministro da Casa Civil, Rui Costa, para esclarecer no plenário da Câmara as recentes declarações sobre a privatização da Eletrobras.


Em uma entrevista à GloboNews, o ministro Rui Costa disse que “temos que ajustar aquilo que tem um cheiro ruim de falta de moralidade” no que diz respeito ao poder de decisão da União na Eletrobras.


A companhia foi privatizada no ano passado, depois do processo passar pelo Congresso e pelo Tribunal de Contas da União. Segundo o ministro Rui Costa, a participação privada deve ser estimulada, mas, na visão do governo, a definição sobre o direito a voto na estatal é ilegal.


A Advocacia Geral da União entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal para questionar o limite de até 10% de direito de voto da União na Eletrobras. Assinada por Lula, a ação pede que a Corte anule um trecho da lei que permitiu a privatização e que apresenta a previsão porcentual.


A convocação, que se dá quando há obrigatoriedade de comparecimento, ainda não foi votada e não tem data confirmada. No entanto, os parlamentares a dão como certa. ACM Neto (BA) é um dos nomes que defende abertamente que Rui Costa preste esclarecimentos. A convocação em articulação é de autoria do deputado federal Mendonça Filho (PE).


Se a convocação do ministro Rui Costa for consumada, será considerada mais uma fragilidade que a gestão Lula acumula junto aos congressistas, contextualizando sobretudo sua falta de base ampla tanto na Câmara quanto no Senado.


Essa possibilidade também estremece um cenário de instabilidade do Planalto com uma sigla que está dentro do seu governo, com três pastas: Comunicações, Turismo e Integração e Desenvolvimento Regional.


Fonte: Revista Oeste

24 views0 comments

Opmerkingen


bottom of page