top of page

OTAN está pronta para se defender contra qualquer ameaça provocada pelo Grupo Wagner, da Rússia


O Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, afirmou que a aliança militar ocidental está pronta para se defender contra qualquer ameaça provocada pela movimentação das forças mercenárias da Rússia, conhecidas como Wagner, para a Bielorrússia, devido aos temores de que o realocamento do exército privado possa criar instabilidade para os membros do leste europeu da OTAN.


Yevgeny Prigozhin, líder da Wagner, foi relatado como tendo chegado à Bielorrússia na terça-feira, sob um acordo negociado pelo presidente bielorrusso Alexander Lukashenko, que evitou por pouco que os mercenários marchassem em direção a Moscou no sábado, após a revolta armada contra os líderes militares russos.


Se Wagner implantar seus assassinos em série na Bielorrússia, todos os países vizinhos enfrentarão um perigo ainda maior de instabilidade”, disse o presidente lituano Gitanas Nauseda após uma reunião em Haia com Stoltenberg, secretário-geral da OTAN, e líderes governamentais de outros seis aliados da OTAN.


O presidente polonês Andrzej Duda disse que espera que a ameaça representada pelos mercenários da Wagner para a OTAN esteja na agenda da cúpula de todos os 31 membros em Vilnius, na Lituânia, nos dias 11 e 12 de julho.


“Isso é realmente sério e muito preocupante, e precisamos tomar decisões muito fortes. Requer uma resposta muito, muito dura da OTAN”, disse Duda.


O secretário-geral da OTAN, Stoltenberg, disse que ainda é cedo para dizer o que a presença do Wagner na Bielorrússia poderia significar para os aliados da OTAN, mas que a aliança militar protegerá “cada aliado, cada centímetro do território da OTAN” contra ameaças tanto de “Moscou quanto de Minsk”.


“Já aumentamos nossa presença militar na parte oriental da aliança e tomaremos mais decisões para fortalecer ainda mais nossa defesa coletiva com forças de prontidão elevada e mais capacidades na próxima cúpula”, disse Stoltenberg.


Prigozhin não foi visto desde sábado, quando acenou para os simpatizantes de um veículo na cidade russa de Rostov-on-Don, que seus combatentes ocuparam brevemente.


Na manhã de terça-feira, um jato particular que acredita-se pertencer a Prigozhin voou de Rostov para uma base aérea a sudoeste da capital bielorrussa, Minsk, de acordo com dados do FlightRadar24.


Créditos: Gazeta Brasil

22 views0 comments

Kommentare


bottom of page