top of page

Mike Pence, ex-vice de Trump, confirma pré-candidatura à Presidência dos EUA em 2024


O ex-vice-presidente Mike Pence anunciou que está concorrendo à Presidência dos Estados Unidos nesta quarta-feira (7), iniciando uma batalha pela indicação republicana com seu ex-chefe, Donald Trump.


Em um vídeo de lançamento divulgado antes do início de sua campanha no final do dia em Iowa, Pence se apresenta como um republicano de Reagan que busca devolver a América aos princípios conservadores.


“Seria fácil ficar à margem. Mas não foi assim que fui criado”, diz ele no vídeo. “É por isso que hoje, diante de Deus e de minha família, anuncio que estou concorrendo à presidência dos Estados Unidos.”


A candidatura presidencial de Pence o coloca em uma posição única ao se tornar o primeiro vice-presidente na história moderna a desafiar seu antigo chefe, que é o atual favorito para a indicação do Partido Republicano em 2024.


Embora seja um leal segundo em comando de Trump, Pence rompeu com ele ao se recusar a anular os resultados das eleições de 2020 e presidir a certificação do Congresso da vitória de Joe Biden em 6 de janeiro de 2021.


Pence argumenta no vídeo – que não faz menção a Trump e não apresenta imagens do ex-presidente – que “tempos diferentes exigem liderança diferente” e que a nação precisa de um líder “que apele, como disse Lincoln, aos melhores anjos da nossa natureza.”


“Nós podemos trazer este país de volta. Podemos defender nossa nação e proteger nossa fronteira. Poderíamos reviver nossa economia e colocar nossa nação de volta no caminho de um orçamento equilibrado, defender nossas liberdades e dar à América um novo começo para a vida”, diz Pence.


Depois de se apresentar à Comissão Eleitoral Federal na segunda-feira (5), Pence está lançando oficialmente sua campanha no estado de Iowa, que sua equipe considera vital para garantir a indicação. Ele participará de uma programa da CNN no estado na noite desta quarta-feira.


Pence – que está em um dígito nas pesquisas – se junta a um crescente campo de candidatos republicanos, que até agora tem sido dominado por Trump e pelo governador da Flórida, Ron DeSantis. A ex-governadora da Carolina do Sul Nikki Haley, que atuou como embaixadora nas Nações Unidas (ONU), é o outro ex-membro do governo de Trump concorrendo contra ele. O ex-governador de Nova Jersey Chris Christie, ex-aliado de Trump que o ajudou a se preparar para os debates de 2020, anunciou sua candidatura na terça-feira com uma forte mensagem anti-Trump.


Um cristão evangélico, Pence foi escolhido para ser companheiro de chapa de Trump na eleição de 2016 na esperança de reforçar sua posição entre os conservadores cristãos. Embora vice-presidente seja seu título mais conhecido, Pence está tentando se reintroduzir aos eleitores como um conservador que serviu como governador e congressista de Indiana antes de seguir sua carreira para Trump.


O que defende Pence


Em discursos, Pence defendeu a responsabilidade fiscal, incluindo pedidos de reformas nos programas de direitos, uma renovação da energia americana, apoio à Ucrânia contra a invasão não provocada da Rússia, restrições ao aborto e um retorno aos princípios sociais conservadores.


Ele planeja fazer uma forte campanha em Iowa, atingindo todos os 99 condados, enquanto sua equipe vê um caminho para ele garantir a indicação conquistando os eleitores evangélicos conservadores do estado que se irritaram com Trump. No final da semana, Pence segue para New Hampshire, que detém a primeira primária republicana do país.


“Os evangélicos estão muito abertos em Iowa, e além de Iowa, em busca do candidato que desejam apoiar”, disse Bob Vander Plaats, o influente presidente do grupo conservador de Iowa, The Family Leader, à CNN em uma entrevista recente.


Vander Plaats, que ainda não endossou nas primárias, mas conhece Pence pessoalmente há anos, disse que os habitantes de Iowa receberam Pence “excepcionalmente bem” durante suas visitas ao estado antes de seu anúncio formal.


Ao romper com Trump, no entanto, Pence pode ter alienado alguns dos apoiadores mais leais de Trump. O ex-vice-presidente criticou publicamente Trump por sua afirmação de que Pence tinha autoridade para anular os resultados das eleições de 2020, mas não mirou no caráter de Trump e disse repetidamente que está orgulhoso do histórico de seu governo.


E embora alguns apoiadores de Trump tenham rejeitado Pence, outros republicanos aplaudiram Pence por suas ações em 6 de janeiro.


“Acho que todo candidato terá sua colina para escalar ou obstáculo para cruzar. E provavelmente será de Mike Pence”, disse Vander Plaats, quando perguntado se a posição de Pence entre os eleitores republicanos irritados com suas ações em 6 de janeiro complicaria seu caminho para a indicação.


Fonte: CNN

13 views0 comments

Comentarios


bottom of page