top of page

A prefeita de Paris, do Partido Socialista, pediu que os cidadãos convivam com os ratos


A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, do Partido Socialista, pediu que os cidadãos da capital francesa convivam com os ratos. As informações foram publicadas nesta sexta-feira, 9, pelo jornal do Reino Unido The Telegraph.


“Depois de anos tentando erradicar a população de ratos da cidade, a líder socialista de Paris mudou de rumo, dizendo aos moradores que é hora de conviver com os roedores”, explicou a reportagem britânica.


A prefeita Anne Hidalgo é aliada do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva. Em novembro do ano passado, eles almoçaram juntos em Paris, e Anne agradeceu ao petista por sua presença e amizade.


“Obrigada, querido Lula pela sua amizade e sua presença ao meu lado hoje”, afirmou a socialista no Twitter. “Diante de todos aqueles que jogam com o medo e querem nos dividir, nós dois compartilhamos essa mesma luta contra o populismo na França e no Brasil”, completou a prefeita de Paris.


A gestão de Anne anunciou a criação de um comitê especial encarregado de examinar como os 2 milhões de habitantes de Paris poderão conviver em harmonia com os cerca de 6 milhões de ratos. “Com a orientação da prefeita, decidimos criar um comitê para analisar a questão da convivência”, disse a vice-prefeita para saúde pública, Anne Souyris, durante uma reunião do Conselho de Paris.


Há seis anos, Paris lançou um plano fracassado para conter os ratos da cidade, de € 1,5 milhão, o equivalente a R$ 7,88 milhões. Grupo de direitos dos animais celebraram a nova decisão parisiense de conviver com os roedores — eles faziam lobby há mais de dois anos por isso.


A cofundadora do grupo Animaux Zoopolis, Amandine Sanvisens, disse que seria “cruel” e “ineficaz” gastar milhões de euros atacando os ratos da cidade. Amandine propôs, por exemplo, investir em cem latas de lixo completamente fechadas em toda a cidade para limitar o acesso dos roedores à comida e usar um contraceptivo oral para ratos chamado ContraPest.


Créditos: Revista Oeste



127 views0 comments

Commentaires


bottom of page